Páginas

quinta-feira, dezembro 08, 2011

A História de um Anjo - Parte 2

"(...) Eu procurei por pelo menos uma alusão ao seu esplendor passado, mas não vi nenhuma.

Suas novidades devem ser urgentes – Disparou Satã a Deus, ainda incapaz de suportar a luz.

A resposta de meu Pai foi um pronunciamento.

Chegou a hora do segundo presente.

A carcaça por trás do manto balançou enquanto Lúcifer gargalhava.
O segundo presente, é? Espero que ele seja mais eficiente que o primeiro.
– Você está desapontado com o primeiro? – perguntou o Pai.
Oh, não! Muito pelo contrário: estou me deliciando com ele. – Levantando um dedo ossudo, ele escreveu um nome no ar:
                                              E-S-C-O-L-H-A
 – Você deu a escolha a Adão – zombou Satã. – E que escolha ele fez! Ele me escolheu. Desde que a fruta foi arrancada da árvore no Éden eu tenho mantido seus filhos cativos. Eles caíram. Rápida e duramente. Eles são meus. Você falhou. Há há. 
Você fala com confiança – respondeu o Pai, surpreendendo-me com sua paciência.

Lúcifer deu um passo para frente, seu manto se arrastando atrás dele.
Claro! Eu faço exatamente o oposto de tudo o que você faz! Você amolece corações, eu os endureço. Você ensina a verdade, eu a escureço. Você oferece alegria, eu a roubo.


Ele rodopiou e desfilou por toda a sala, se gabando de suas proezas. 

A traição de José pelo seus irmãos – eu fiz aquilo. Moisés indo para o deserto depois de matar os egípcios – era eu ali. Davi assistindo ao banho de Bate-Seba – aquilo era eu. Você tem que admitir, meu trabalho tem sido artesanal.
– Artesanal? Talvez. Mas efetivo? Não. Eu sei o que você vai fazer antes mesmo que o faça. Eu usei a traição de José para resgatar meu povo da fome. A expulsão de Moisés se tornou o treinamento dele no deserto. E sim, Davi realmente cometeu o adultério com Bate-Seba – mas ele se arrependeu de seu pecado! E milhares se inspiraram em seu exemplo e encontraram o mesmo que ele: a graça infinita. Suas ilusões apenas serviram como plataformas para a minha misericórdia. Você ainda é meu servo, Satã. Quando aprenderá? Suas fracas tentativas de atrapalhar o meu trabalho apenas viabilizam meu trabalho.

 CADA ATO QUE VOCÊ TEM PLANEJADO PARA O MAL EU TENHO USADO PARA O BEM.

Satã começou a rosnar – um rosnado gutural, raivoso. Suave, a princípio, então mais alto, até que a sala estivesse completamente tomada por um urro que deve ter estremecido até as bases do inferno.
Mas o Rei não estava incomodado.

Sente-se doente?

Lúcifer olhou ao redor da sala, respirando alto, procurando palavras para falar e por uma sombra onde pudesse dizê-las. Finalmente achou as palavras, mas nunca as sombras.
Mostre-me, ó Senhor da luz, mostre-me uma pessoa na Terra que sempre faz a coisa certa e obedece a seus desejos.
– Você ousa perguntar? Você sabe que é necessário que haja apenas um perfeito, apenas um puro para morrer por todos os outros.
– Eu conheço os seus planos – e você falhou! Nenhum Messias irá vir de seu povo. Não existe uma pessoa que seja pura, livre de pecados. Nenhuma. – Ele virou suas costas para a mesa e começou a dizer o nome dos filhos: – Nenhum Moisés. Nem Abraão. Nenhum Ló. Nenhuma Rebeca. Nem Elias...
O Pai se levantou de seu trono, soltando uma onda de luz sagrada tão intensa que Lúcifer cambaleou para trás e caiu.
ESTES DE QUEM VOCÊ ESTÁ ZOMBANDO SÃO OS MEUS FILHOS.
– A voz de Deus estrondeou. – Você acha que sabe muito, anjo caído, mas sabe muito pouco. Sua mente duela no vale de si mesmo. Seus olhos não vêem nada além de suas necessidades.

O Rei caminhou até alcançar o livro. Ele se virou na direção de Lúcifer e ordenou:

Venha, impostor, leia o nome daquele que irá desmascarar-te. Leia o nome daquele irá tumultuar teus portões. (...)"
                                        (Max Lucado)


CONTINUA...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mais visitadas :)