Páginas

quinta-feira, agosto 25, 2011

O verdadeiro EU..


"Deve haver uma entrega REAL do eu. Você precisa jogá-lo fora, por assim dizer, “cegamente”. Cristo lhe oferecerá uma personalidade de verdade, mas você não deve procurá-lo só por isso. Se a sua personalidade verdadeira é o que importa, então é bem pouco provável que você procure a Cristo. O primeiro passo nessa direção é tentar esquecer o seu eu de uma vez por todas. O seu verdadeiro eu (que é de Cristo e tambem seu, sendo seu justamente por ser de Cristo) não surgirá enquanto você estiver procurando por ele. Surgirá quando você procurar por Cristo. Isso lhe soa estranho?
O mesmo princípio se aplica as coisas do cotidiano. Até na vida social você jamais passará uma boa impressão as pessoas, enquanto não parar e pensar sobre o tipo de impressão que está passando. O mesmo se aplica a literatura e a arte; ninguém que se preocupa em ser original será capaz de ser realmente original; se você simplesmente se empenhar em dizer a verdade (sem dar a mínima para a quantidade de vezes que ela já tenha sido dita), em noventa por cento dos casos você se tornará original, sem ter se dado conta disso. Esse princípio perpassa a vida toda, de alto a baixo. Abra a mão de si mesmo e descobrirá o seu verdadeiro eu. Perca a sua vida e você a salvará. Submeta-se a morte, a mortificação das suas ambições e do seus desejos favoritos todos os dias e a morte do seu corpo no final; submeta-se com todo o seu ser, e achará a vida eterna. Não retenha nada. Nada do que você não entregar será realmente seu. Nada que não tenha morrido em você poderá ressuscitar dos mortos.
Se você continuar buscando a si mesmo, ao longo do caminho, só achará ódio, solidão, desespero, fúria, ruína e decadência. Porém, se você buscar a Cristo, certamente o encontrará e com ele as demais coisas acrescentadas."
 
                                                (C.S. Lewis)
Fonte: Solomon1

quarta-feira, agosto 03, 2011

Amor Incondicional.

"E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele." (I João 4:16)
 No início da história cristã, Agostinho acusou: ‘Muitos que chegam perto do caminho da fé afastam-se amedrontados pela vida perversa dos maus e falsos cristãos. Quantos, meus irmãos, vocês acham que são os que querem ser tornar cristãos, mas são repelidos pelos maus modos dos cristãos?’.
Se aquele que está atrás da verdade descobre que os cristãos estão do mesmo modo ensimesmados, repletos de culpa, desesperados, inseguros de seus fundamentos e assombrados pelos mesmos medos - semelhantes a muitos que, no mar, se sentem num ambiente hostil e, assim, vêem-se desorientados -, não é de admirar que tal indivíduo NÃO sinta atração pela igreja. Uma mulher de 23 anos, fazendo um trabalho acadêmico na Universidade de Paris, escreveu o seguinte:

"Para mim, um cristão é ou um homem que vive em Cristo ou um impostor. Vocês, cristãos, não percebem que é com relação a isto – ao testemunho quase superficial que vocês dão de Deus – que nós os julgamos. Vocês deveriam irradiar Cristo. Sua fé deveria fluir pra nós como um rio de vida. Deveriam nos contaminar com seu amor por Ele. É assim, então, que Deus, que era impossível, se tornaria possível para o ateu e para aqueles de nós cuja fé oscila. Não podemos evitar o choque, o transtorno e a confusão que sentimos ao ver um cristão que seja, de fato, como Cristo. E não perdoamos quando ele não o é." 

Fonte:  Solomon1.

Nossa, o texto que essa mulher escreveu me chocou, e muuuuito! Me fez pensar se eu tenho irradiado Cristo, se eu tenho sido verdadeiramente como Ele. Fui num congresso segunda-feira e percebi a importância do AMOR. Temos vivido dias em que o amor tem sido deixado de lado. Seja com pessoas distantes ou próximas, ouvir um 'eu te amo' é raro hoje. Tenho pensado um pouco sobre AMOR INCONDICIONAL! Um amor sem trocas, um amor que simplesmente se dá, sem esperar absolutamente nada em troca. No meu trabalho, eu tenho cerca de 40 crianças, e tenho podido perceber esse amor incondicional! Nossa, é tremendo. Por mais que eu chame a atenção deles, eles continuam sendo amáveis comigo, e têm uma facilidade incrível de dizer 'eu te amo tia', rs. Precisamos ser assim! Só assim, iremos irradiar Cristo. E, assim levá-Lo a pessoas que aos nossos olhos parecem impossíveis.

Termino com uma frase que foi dita pelo Pastor Paulo Junior que ministrou no Congresso em que fui segunda-feira...

"Podemos ser condenados pelo bem que NÃO fizemos."


Pensem nisso, porque eu tô pensando e muito, rs.

Mais visitadas :)