Páginas

quinta-feira, junho 24, 2010

Fazendo amizade com a máfia


"Não vim para chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento." (Mateus 9:13 b)

De acordo com seu currículo, Mateus era um consultor fiscal do governo. De acordo com seus vizinhos, ele era um trapaceiro. Mantinha um guichê para cobrar impostos e uma mão estendida na esquina da rua. Era ali que ele estava no dia em que viu Jesus. "Segue-me", o Mestre disse; e foi o que Mateus fez. No versículo seguinte, encontramos Jesus sentado à mesa da sala de jantar de Mateus. "Jesus estava jantando na casa de Mateus" (Mateus 9:10 NTLH).

Uma conversa na calçada não pôde satisfazer o coração de Mateus, por isso ele levou Jesus para sua casa. Algo acontece à mesa do jantar que não acontece à mesa de um escritório. Tira-se a gravata, esquenta-se a grelha, abrem-se os refrigerantes e passa-se a noite sob a luz das estrelas. "Sabe, Jesus, me perdoe por perguntar, mas eu sempre quis saber..."
Embora o convite seja impressionante, aceitá-lo é ainda mais. Para Jesus não importava que Mateus tivesse construído uma casa de vários andares com dinheiro proveniente de extorsões. O que importava era que Mateus queria conhecer Jesus.

A proporção entre aquele que deixaram Jesus passar e aqueles que o buscaram é de milhares pra um. Mas a proporção entre aqueles que o buscaram e aqueles que o acharam era de um para um. Todos que o buscaram o acharam.

(Simplesmente Jesus - Max Lucado)


Eu tava lendo o livro João 3:16 do Max Lucado, e no final do livro tem 40 devocionais, uma para cada dia. O Max relembra em cada dia uma parte de um dos seus livros, e essa parte que eu postei é a do 16º dia. Quando eu li isso, pensei: realmente, o Senhor é tremendo!

Paulo diz em sua carta aos coríntios: "Sede meus imitadores, como eu de Cristo" (I coríntios 11:1). Logo, temos que ser imitadores de Cristo. Será que temos agido de forma a ser imitadores dEle? Foi exatamente isso que eu fiquei pensando quando li essa parte do livro do Max. Fiquei imaginando: Será que tenho feito amizade com a 'máfia'?

Ás vezes o preconceito nos cega de uma tal forma, que ao invés de abominar o pecado, abominamos o pecador! Quando na verdade, não foi isso que Jesus nos deixou. A palavra diz: "Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo" (Gálatas 5:14). Temos que amar o nosso próximo como a nós mesmos, e foi isso que Jesus fez. Foi isso que Jesus fez com Mateus, foi o que Ele fez com Pedro que O negou, com Judas que O traiu, foi o que Ele fez com a mulher adúltera. E se queremos ser imitadores de Cristo, temos que amar também. Não significa que temos que aceitar o pecado, mas sim aceitar o pecador. Muitas vezes, por puro preconceito deixamos de falar do amor do Senhor para um homossexual, para uma prostituta, para alguém de outra religião, etc. E por incrível que pareça, ás vezes eles estão de ouvidos abertos para ouvir o que temos a dizer. Basta apenas AMAR! Tenho certeza de que muitos estão procurando o amor do Senhor, e querendo alguém que fale sobre ele! Então, que deixemos os preconceitos de lado, e que venhamos abrir nossas bocas para pregar as boas novas do Senhor!


"Há um só legislador, um juiz que pode salvar e destruir. Tu, porém, quem és, que julga a outrem?"
(Tiago 4:12)

2 comentários:

  1. Texto simples e objetivo, o maior dom é o amor divino!

    ResponderExcluir
  2. Ótimo blog!
    Que Deus abençoe!

    ResponderExcluir

Mais visitadas :)